• Imagem 3
  • Liso pleno Blog
  • Iphone Blog
  • Culto
beleza category image
14 de outubro de 2014
Não sou aquele tipo de pessoa que faz uma super produção para o dia a dia, aquela base pesada, olho bem elaborado, nada disso, prefiro deixar isso para o fim de semana. Com a academia, trabalho e faculdade, nem que eu quisesse teria tempo pra tudo isso, mas também não dá pra sair de cara lavada né? Então eu prefiro optar por poucos produtos e que sejam mais práticos. Esses são os produtos que uso todos os dias:
Com o rosto limpo, antes da maquiagem, estou usando o hidratante protetor da Nívea (Tem resenha dele aqui) para pele oleosa, que gosto por causa do FPS 15.
Como base, uso o BB cream da L’oreal na cor média.

Corretivo Studio Finish da Mac na cor NC42, que  não é exatamente a cor exata pra mim, acho que quando comprei estava um pouco mais bronzeada, mas nada que dê uma super diferença.
Paleta de 10 blushes da Woops Makeup. Na maioria das vezes uso o blush circulado já que quase todos os outros tem brilho e eu prefiro optar por um sem brilho para ir trabalhar.

As vezas ao invés da paleta eu uso o Benetint da Benefit, que eu AMO! O meu é a versão menorzinha que vem em um kit travel.

Máscara “The Colossal” da Maybelline. Essa todo mundo já ta cansado de conhecer, gosto muito dela para o dia a dia.

Bem, esses são os produtos que eu uso todos os dias, o batom eu uso o que o meu humor do dia pedir, hahahahaha… E vocês, quais produtos usam no dia a dia? :]
Compartilhe com os amigos:
0 Comentários

  • Produtos acabados – Compraria de novo ou não?
  • Testei&Resenhei: Pó compacto facial Ruby Rose
  • 10 Maneiras diferentes de usar Yamasterol
  • filmes-e-series category image
    12 de outubro de 2014

    Como dizer o quanto eu estava ansiosa pra ver esse filme?? Hahahahahaha.. Na verdade, difícil mesmo é eu não ficar ansiosa quando sente vai estrear algum filme de terror, é muito amor envolvido!! 

    Pra quem não sabe, “Annabelle” surgiu do filme “Invocação do mal”, que estreou ano passado e conta a história do casal de demonologistas Ed e Lorraine Warren. Annabelle, um dos casos que eles viveram, aparece logo no início do filme, o que faz com que muita gente pense que o filme vai girar em torno da boneca, e quando você vê que não, você fica extremamente frustrado e curioso pra saber como se desenrolou a história da boneca, que foi o que aconteceu comigo. Agora, imagina a minha empolgação ao saber que seria lançado um filme só da boneca.. Eu simplesmente surrei e comecei a contar os dias.

    Postei essa foto no instagram (@ketyginger) assim que cheguei pra ver o filme, ô empolgação!

    Sinopse: começa antes do mal ser desencadeado em Invocação do Mal (2013). Tudo começa quando John Form (Ward Horton) encontra o presente perfeito para sua esposa grávida, Mia (Annabelle Wallis) – uma boneca que usa um vestido de noiva branco. Mas a felicidade de Mia com Annabelle não dura muito. A boneca atrai membros de uma seita e o casal é violentamente atacado.
    (Sinopse retirada do site cinema10.com.br)

    Eu não queria dar spoiler, mas não vai ter jeito, se você ainda não viu o filme e pretende ver, pare de ler aqui!

    Já deu pra perceber que eu fui ver o filme com uma expectativa bem alta né? Bem, muitas vezes isso atrapalha as coisas, não que o filme tenha sido ruim, eu gostei mesmo, mas foi bem diferente do que e imaginei. Um dos aspectos diferentes do que eu tinha imaginado é que o filme não centra tanto assim na boneca, centra muito mais na Mia (protagonista) e no tal do demônio que está atrás do bebê, Annabelle muitas vezes é só um “enfeite”. Um exemplo disso é a cena em que ela fica em pé e é mostrado o demônio segurando ela pra ela ficar em pé, nunca é mostrado ela se mexendo sozinha. Então a boneca fica um pouco em segundo plano.

    Um ponto muito positivo do filme é que nas cenas de tensão, não acontece o que estamos esperando, é sempre uma surpresa, você acha que vai acontecer uma coisa e acontece outra. Exemplos: Cena do elevador (amei essa cena, foi a melhor) em que a porta abre mil vezes, todo mundo fica achando que alguma hora vai aparecer um rosto pra dar um susto e não aparece. Por isso achei essa uma das melhores cenas, foi criada uma tensão muito grande alí, você simplesmente não consegue desgrudar o olho da tela achando que alguma coisa vai meter a cara lá, hahahahaha.

    Um dos pontos negativos que me fizeram  abaixar a nota do filme é que as coisas acontecem de forma lenta, demora pra criar aquela tensão típica de filme de terror, acho que eles podiam ter apresentado a história um pouquinho mais rápido. Outro ponto negativo é que achei a forma de se expressar da Mia não muito convincente, não sei se isso é da personagem ou da atriz (provavelmente da personagem, já que a Mia é muito calminha), mas acho que, mais na expressão facial, ela não demonstrou todo o medo que devia estar demonstrando com o que estava acontecendo.

    Uma coisa que eu achei interessante foi a gradativa mudança no rosto da Annabelle no decorrer do filme, o rosto dela vai aos poucos ficando bem “demoníaco”. As piadas que o John faz muitas vezes deixam o clima do filme mais leve, o que uma vez ou outra atrapalha a tensão que a cena deveria criar.

    Quanto ao final, não achei lá essas coisas, mas também não foi aquele tipo de final que me faz desgostar do filme. Pra mim, “Annabelle” não superou invocação do mal e eu não levo como uma “continuação”.
    Apesar dessas pequenas coisas que não gostei, recomendo sim o filme, ele só não entrou pra minha lista de favoritos.
    Nota: 7,8

    Compartilhe com os amigos:
    6 Comentários

  • Review Filme “Zootopia”
  • Crítica ao filme “Além da Morte” (Flatliners)
  • Filme “Ouija – O jogo dos espíritos”‘
  • livros category image
    9 de outubro de 2014
    Hello! :]

    Antes da resenha, eu gostaria de  fazer uma pequena apresentação da nova colunista do blog, Camila. A Camila vai fazer fazer algumas resenhas sobre livros aqui pro Pretty Please, pra termos um conteúdo mais diversificado! E já que ela é uma devoradora de livros, adorou a ideia de fazer as resenhas. Deixo vocês agora com a primeira resenha dela, do livro “Stolen”.

    Sinopse: Gemma é uma
    adolescente normal esperando para pegar um voo no aeroporto de Bangkok com seus
    pais. Ao se afastar, conhece o charmoso e envolvente Ty, e nem imagina quais
    são suas reais intenções. Ele lhe oferece um café em que coloca algum tipo de
    droga. Confusa, ela é sequestrada e arrastada para o meio do deserto
    australiano. Ele a rouba para si, depois de anos a observando, e ainda espera
    que ela o ame. Os dias se passam e eles têm apenas um ao outro na imensidão
    vazia e escaldante do deserto, e Gemma começa a entender e conhecer Ty. É aí
    que os limites entre inimizade e compaixão vão ficando cada vez mais tênues.

    Stolen é um livro que logo de cara chama a sua
    atenção pelo subtítulo: Carta ao meu sequestrador. Hein? É isso mesmo? Sim. A
    personagem principal narra todo o livro em forma de uma carta ao seu
    sequestrador, contando todos os momentos que ela passou desde a captura até
    seus sentimentos e medos.

    O livro não contém cenas muito fortes, como pelo
    título podemos imaginar.

    Mas a historia é incrível, muito bem construída
    e se desenrola de uma maneira de fácil leitura! Eu li o ebook com mais de 570
    paginas em apenas 1 dia.

    O antagonista é um personagem fascinante, acho
    que até eu estou com crise de estolcomo. (Quando a vitima se efetua ao seu
    sequestrador) pela primeira vez em toda a minha vida literária eu torci para
    que o “vilão” ficasse com a mocinha. Sim, podem me julgar! Eu sei que
    ele é um sequestrador, mas torcia mesmo assim.

    Não é a toa que o Ty foi indicado pelo site
    TeenReads como melhor vilão. O Ty é o melhor!!

    Minha nota foi: 9,5

    Minhas Considerações Finais:

    Quando eu acabei o livro fiquei com abstinência de Stolen, precisava urgentemente
    de um 2º livro. Não. Ele não termina no: continua no próximo livro, mas o final
    deixa aberta varias possibilidades para um volume 2 ainda mais fascinante que o
    primeiro. Viu né Lu? (Lu é o modo que eu chamo a Lucy), Se você estiver assim sem
    fazer nada bem que poderia escrever um segundo livro pra mim né?

    Super recomendado para todos os gostos!!!

    Até a próxima resenha,
    Camila.

    Compartilhe com os amigos:
    3 Comentários

  • Devorando livros: Lançamento do livro "A Comissão Chapeleira"
  • Devorando Livros : PASSAPORTE DA LEITURA
  • Devorando Livros: Lançamento Doce Inocência
  • filmes-e-series category image
    7 de outubro de 2014
    Sinopse: Há muito tempo, em um tempo esquecido, uma força destruiu o equilíbrio das estações. Em uma terra onde os verões podem durar vários anos e o inverno toda uma vida, as reivindicações e as forças sobrenaturais correm as portas do Reino dos Sete Reinos. A irmandade da Patrulha da Noite busca proteger o reino de cada criatura que pode vir de lá da Muralha, mas já não tem os recursos necessários para garantir a segurança de todos. Depois de um verão de dez anos, um inverno rigoroso promete chegar com um futuro mais sombrio. Enquanto isso, conspirações e rivalidades correm no jogo político pela disputa do Trono de Ferro, o símbolo do poder absoluto.
    (Retirada do site Adoro cinema)

    Como declarar meu amor por essa série em palavras? Hahahahahahahahaha.. Sério, eu não dava nada por Game of Thrones, pra mim eu nunca ia assistir essa série, até que meu namorado insistiu para que começássemos a ver juntos e eu aceitei. No começo eu não entendia absolutamente nada, logo, não gostava, assistia 1 episódio por fim de semana, no máximo 2 (Comecei a ver quando estava saindo a quarta temporada). Depois de um tempo, que eu passei a entender mais a história, meu Deus, eram quantos episódios desse por fim de semana, eu simplesmente me apaixonei pela série, já comprei até uma case pro meu iphone com o tema da série, hahahahaha.
    Mas vamos lá, no começo tudo é muita informação, são muitas histórias  que se misturam pra formar uma só, e até você entender tudo apenas vendo os episódios e sem ler algumas explicações na internet, demora um pouquinho, o que pode até te fazer desistir de ver a série, mas por favor, não desista porque você não vai se arrepender. 
    A série veio da série de livros “As crônicas de gelo e fogo” do escritor norte americano George R. R. Martin, e ele ainda não terminou de escrever os livros, isso porque, no começo, ia ser uma trilogia. Os personagens são muito bem formulados e os atores fazem os seus papéis fodamente bem, é incrível. Eu até falaria aqui sobre cada um dos personagens, mas são muitos mesmo  e o post ficaria muito longo, mas vou falar do meu favorito, esse cara:
    Jon Snow, como não adorar? Posso dizer que esse cara é um dos únicos “bons moços” da série, se não for o único. Jon é o filho bastardo de Eddard Stark, mas ninguém sabe quem é a mãe (até agora na quarta temporada, pelo menos). Ele é membro da Night’s Watch, que é uma ~ordem militar~ que protege os 7 reinos daquilo que existe atrás muralha (que se você vê a série, sabe o que é, e se você não vê, veja). Gosto dele porque ele é uma das poucas pessoas boas daqueles sete reinos, bom, mas não bobinho, ele tem uma personalidade bem forte.
    Alguns personagens:
    Assim como tem o personagem que eu mais gosto, também tem o que eu mais odeio, justamente por fazer o seu papel de fazer o público odiá-lo brilhantemente bem, esse cara:
    Joffrey Baratheon, tá pra nascer personagem que os fãs da série odeiem mais do que esse cara. Pensa no rei mais escroto do mundo, agora multiplica com 10, ta aí. Ao ver a série, você vai aprender a odiar esse loirinho desde as primeiras vezes que ele aparece, acredite. 
    Falar mais sobre a série abriria espaço para muitos spoilers, e como eu quero muito que todo mundo que ainda não viu, pegue a dica e veja, vou encerrar por aqui.
    Nota: 10,00 (Ou eu posso tirar alguns pontos pelo sofrimento que estou passando por ter que esperar a nova temporada :'( )
    Compartilha desse amor comigo? Comente aqui em baixo!
    Compartilhe com os amigos:
    6 Comentários

  • Filme “Hush” | Review/Crítica + Ficha Técnica
  • Filme “Assim na terra como no inferno”
  • 10 Estreias do terror para 2017
  • lifestyle category image
    2 de outubro de 2014
    Olá!! :]
    Hoje vim falar de um assunto que assombra todo mundo que ou está terminando o ensino médio, ou quer muito começar a fazer uma faculdade, que é a escolha do curso.
    Bem, terminei o ensino médio com 16 anos, já em toda aquela agitação para o vestibular. Fiz vestibular para várias faculdades e para os mais variados cursos, isso porque ainda não tinha aquela certeza do que queria, e pela pressão dos meus pais de que eu tinha que entrar pra uma faculdade pública. Eu já tinha alguns pensamentos relacionados à publicidade (que é a faculdade que estou terminando agora), mas fiz vestibular pra qualquer uma que eu tivesse mais facilidade de entrar (não faça isso), foi aí que eu entrei pra pedagogia. Olha, quem me conhece bem sabe perfeitamente que pedagogia não tem absolutamente nada a ver comigo, tanto que cursei só até o terceiro período e parti pra outra faculdade, paga, pra fazer algo que gosto, que é publicidade.
    Entrar pra uma faculdade só por entrar é, na minha opinião, um erro bem grande, principalmente se como eu, você entrar e não gostar, você vai ter desperdiçado tempo da sua vida em que você já poderia estar fazendo o que gosta, algo que verdadeiramente você vai se esforçar pra fazer bem porque vai gostar do que está estudando. Afinal, pensa bem, o que você se esforça mais pra fazer, algo que você gosta ou algo que você está sendo forçado a fazer?! Claro, ainda existe aquela questão financeira, muita gente faz certos cursos somente pelo futuro salário da profissão, o que pra muita gente não está errado, porque afinal o seu objetivo é ter uma boa situação financeira, e cada um com o seu objetivo. Perfeito mesmo seria você gostar daquela profissão que dá bastante dinheiro, hahahahahahaha.. Ainda assim acho que a pessoa tem mesmo que gostar do que faz, imagina estudar anos e anos algo que você odeia, e pior, imagina trabalhar muitos anos mais nisso.. não sei vocês, mas não sei dizer se dinheiro vale todo esse “stress”, nosso trabalho é uma parte muito grande de nossas vidas, tem que gostar pelo menos um pouquinho, se não é aquela tortura.
    Partindo do princípio de que é importante ter uma profissão que se gosta, e melhor ainda se isso for associado a um sucesso financeiro $$$, a escolha do curso é uma grande decisão a se tomar. Aqui vão algumas dicas pra você que ainda não faz a mínima ideia do que “quer ser quando crescer”:
    – Procure TODAS as profissões possíveis e pesquise a fundo cada uma delas, inclusive seus salários. A partir daqui já vai dar pra descartar várias, muitas delas você vai ter aquele pensamento “de jeito nenhum eu quero trabalhar com isso”, acredite.
    – Faça uma lista de tópicos de coisas em que você é bom ou que você gosta, como por exemplo escrever histórias, animais, fazer cálculos (me tira dessa, sou de humanas), desenhar, e por aí vai, muitos desses tópicos podem se associar às mais variadas profissões, e isso pode ajudar.
    – Depois de ter pesquisado a fundo as profissões, procure informações sobre o mercado de trabalho delas no seu estado ou cidade, ou em outras cidades caso você pretenda se mudar. É importante saber as oportunidades que existem ao seu redor. 
    – Depois de diminuir bem sua lista de possíveis profissões, converse com profissionais dessas áreas. Essa é a hora de saber a verdadeira realidade dessas profissões, você vai ver as reais vantagens e dificuldades que esses profissionais tem. É legal conversar com mais de 1 profissional de cada área, por isso é bom ter a lista bem reduzida nessa etapa. Converse tanto com os bem sucedidos, para conhecer os passos que vão te levar mais longe, quanto com os “mal sucedidos”, para saber as dificuldades desse mercado de trabalho.
    – Quando você já souber bastante sobre suas possibilidades, imagine-se trabalhando naquilo por toda a sua vida (não que isso realmente vá acontecer).. Gostou do que imaginou? É uma possibilidade viável para todo o seu bem estar (financeiro, mental etc)? Então mãos à obra!
    Compartilhe com os amigos:
    0 Comentários

  • Tag: Espelho, espelho meu.
  • Resultado do aparelho invisível: Funcionou? Valeu o preço? Tempo de tratamento?
  • 6 Maneiras diferentes de liberar espaço no Iphone
  • beleza category image
    30 de setembro de 2014
    Faz um tempo que eu estava atrás de um hidratante facial específico para o meu tipo de pele (mista), porque antes eu usava qualquer um (aiaiai). Como gosto de experimentar vários produtos, resolvi começar por algum hidratante facial mais em conta, foi ai que vi esse hidratante protetor da Nivea na farmácia e resolvi experimentar. O preço dele, se não me engano, foi R$ 25,99. Comprei a versão para pele de mista à oleosa. 
    Algo que me chamou a atenção nele é o fato dele ter FPS15, o que obviamente não substitui um bom protetor com um fator maior, que devemos usar diariamente, mas já ajuda.

    O que diz o produto:
    “Enriquecido com algas marinhas e Hydra QI: Sua fórmula oferece hidratação por 24 horas, com textura leve e sem obstruir os poros. Com FPS15 que protege contra a ação do sol e o envelhecimento precoce da pele. Sua fórmula com efeito mate e algas marinhas reduz e controla o brilho. Contém vitamina E, anti-oxidante para uma mais saudável e bem cuidada”
    O que eu achei:
    É aquele tipo de produto que com um pouquinho já dá pra usar no rosto inteiro, ao contrário daquele hidratante “tradicional” da Nivea (que eu achava que deixava minha pele bem oleosa). Quanto ao efeito mate, não, não fica mate assim como diz a embalagem, inclusive, demora um pouquinho a secar se for passado em grande quantidade, que já é outro ponto negativo, já que costumamos usar o hidratante diariamente, e na correria do dia a dia é chato ficar esperando o produto secar, pra fazer maquiagem e blábláblá.. Quando à hidratação, ok, hidrata razoavelmente considerando que é um produto específico para pele oleosa.
    Compraria de novo? Acho que não, tanto por gostar de experimentar novos produtos quanto pelo fato de que ele não me encantou tanto.
    Nota: 7,5 
    Já usou e teve uma opinião diferente? Me conte aqui nos comentários :]
    Compartilhe com os amigos:
    0 Comentários

  • 5 erros na lavagem de cabelos.
  • Como usar o mesmo pincel de maquiagem sem precisar lavar #DicaRápida
  • Testei&Resenhei: Clearskin Pore Penetrating – Avon
  • lifestyle category image
    20 de setembro de 2014
    17 de setembro de 2014, um dos dias mais esperados do ano pra mim, dia do show do meu queridíssimo cantor Michael Bublé ❤️ A venda de ingressos começou em julho, e eu obviamente comprei no primeiro dia, assim que abriu.  Comprei o ingresso para a área Premier, queria ficar bem perto porque no show em 2012 não pude ficar perto. O show foi na HSBC Arena, na Barra da Tijuca. A turnê que o Michael está fazendo é a do seu novo álbum “To be loved”, e ele está fazendo show no Brasil no Rio e em São Paulo, 1 no rio e 3 em São Paulo, absurdo né, também quero 3 shows!!! Hahahahahahaha. Ele veio pra cá com a esposa e aquela coisa fofa chamada Noah, filho dele.
    O show começou por volta de 22:20, o que foi ótimo porque estava um super engarrafamento e eu cheguei lá bem em cima da hora. O Michael cantou músicas do álbum novo e dos antigos, e músicas “aleatórias” como “Everybody” dos Backstreet  Boys e “Get Lucky” do Daft Punk. Só achei estranho ele não ter cantado a principal, que é “To be loved”. 
    Com uma produção de US$ 6 milhões, o show foi incrivelmente perfeito, ele trouxe pra cá tudo que teve nos outros show da turnê, nos outros países. Equipamentos de som, luz, pirotecnia e telões de led, ele fez questão que os fãs brasileiros tivessem o mesmo show que os fãs de outros países. 
    Acabou por volta de 00:15, 2 horas de show basicamente. Tentei tirar uma foto com ele, mas não foi possível 🙁 Mais pro fim do show pude ficar mais perto ainda, na grade (não fiquei antes porque era lugar marcadinho, cada um no seu e os seguranças não deixavam ficar fora do seu lugar).
    Meu look foi esse:

    Algumas fotos (sem muita qualidade porque a emoção não permitiu que eu parasse de cantar e dançar para tirar boas fotos) do show:

    Abertura cantando “Fever”

    Chuva de corações em “All you need is love”

    Não tenho mais palavras pra explicar o que foi esse show pra mim, e mesmo sem data, já comecei a contar os dias para o próximo!!
    Compartilhe com os amigos:
    0 Comentários

  • Look do dia: Passeio na lagoa.
  • Testando o “Air curler” (Acessório para fazer cachos no cabelo)
  • 9 Dicas e truques do Iphone que você precisa saber
  • lifestyle category image
    17 de setembro de 2014
    A primeira vez que entrei em uma academia foi aos meus 16 anos (se não me engano). Fazia musculação e mais umas mil aulas como aeroboxe, jump, pilates, alongamento e blábláblá, sempre amei, afinal eu tinha tempo pra isso. Hoje em dia, quem dera, tenho 1 horinha por dia pra malhar e olhe lá. Aos 18 comecei a fazer estágio, daí com a combinação estágio + faculdade acabei saindo da academia (preguiçosa), mal sabia o que me esperava no futuro. Hoje em dia o único tempo que tenho pra malhar é de 6 às 7 da manhã, antes do trabalho. Tenho uma rotina puxada, mas sinceramente não vivo mais sem academia. Aquela sensação de série finalizada é gostosa demais, hahahahaha.
    Imagem retirada do site https://elefanteverde.com.br

    Antes de qualquer coisa, é de extrema importância passar por uma avaliação médica, porque é a partir daí que você vai saber a atividade física mais adequada à você, e tudo que você pode e não pode fazer. A partir daí é importante seguir com uma alimentação de acordo com o seu objetivo (perder peso, hipertrofia etc), então é legal consultar um nutricionista, coisa que eu deveria fazer, porém continuo nas gordices.
    Mas vamos lá, você nunca malhou na vida, acabou de se matricular em uma academia e teve o seu primeiro dia de treino, prepare-se, você vai ficar dolorida, faz parte do processo. E por favor, não seja aquele tipo de pessoa que acha que entrou na academia e em 1 semana vai ter o corpo que quer, não, isso não vai acontecer, é um processo longo. Paciência é uma virtude e deve ser utilizada junto com a força de vontade. E não vamos esquecer da disciplina, não vai adiantar ficar faltando a academia, comprometimento é essencial, você tem uma série a seguir e essa série será adaptada de acordo com a sua rotina e possibilidades, então não tem desculpa.
    Agora, aqui vão algumas dicas para começar:
    1- Estabeleça suas metas.
    É bom estabelecer metas de curto e longo prazo. As metas de curto prazo são importantes para garantir sua motivação, é ótimo ver que seu esforço está dando resultado e isso te faz se esforçar cada vez mais para atingir aquele objetivo mais difícil, por isso suas metas tem que ser realistas, não vai adiantar colocar como meta de curto prazo algo que você só consegue fazer à longo prazo, isso só vai te frustar e te fazer ficar desanimada.
    2- Beba muita água.
    Isso que você já está cansada de ouvir com certeza, não somente pela academia, mas pela sua saúde e bem estar no geral, mas é uma dica muito válida e realmente necessária. A água elimina as toxinas do corpo, acelera o metabolismo e ajuda na síntese de proteínas, além de ajudar o corpo a repor a energia e mais 1 milhão de benefícios. Beba água tanto antes, quanto depois dos treinos, inclusive até nos intervalos dos exercícios. 
    3- Coma antes do treino.
    É importante fazer um desjejum rico em carboidratos (mas sem gordura) antes do treino, pois baixos estoque de glicogênio muscular (carboidratos armazenados) levam à fadiga e à exaustidão, o que acaba por reduzir sua performance. 
    4- Mude a intensidade dos exercícios.
    O aumento da intensidade dos exercícios deve ser feito gradualmente, é importante mudar para que o corpo não se acostume e possa responder de forma mais rápida ao exercício.
    5- Mudança na rotina alimentar.
    É legal procurar um nutricionista para uma reeducação alimentar de acordo com os seus objetivos na academia. Alimentos que cotenham ômega 3 e vitamina E são importantes para quem está começando a malhar pois ajudam a transportar mais oxigênio para os músculos, o que resulta em um melhor desenvolvimento dos mesmos.
    P.S: Apesar de achar que uma alimentação balanceada é essencial, sou totalmente contra se cortar tudo que se gosta da sua vida, para mim realmente não vale a pena deixar de aproveitar tudo que se gosta de comer por uma dieta, o ideal mesmo é diminuir de modo que aquilo não atrapalhe seus objetivos, mas cortar de vez e pra sempre acho radical demais.
    6- Tenha um companheiro de treino.
    Essa é para quem fica desanimado para ir à academia e usa isso como desculpa para não malhar, ter alguém treinando junto com você pode ser um estímulo e tanto. No dia em que um estiver desanimado, o outro anima, puxa pra academia e vice versa.
    Bem, essas foram algumas dicas bem básicas, pois não sou formada em nutrição e nem em educação física para entrar mais profundamente em certos assuntos, então nem me atrevo a afirmar aqui coisas que eu não sei, a intenção é ajudar e não prejudicar ninguém. Espero que tenham gostado e que possa ajudar quem está começando ou quer começar! =)
    Compartilhe com os amigos:
    2 Comentários

  • Como desfocar o fundo das fotos em segundos
  • Wallpapers de natal
  • 9 Dicas e truques do Iphone que você precisa saber
  • filmes-e-series category image
    8 de setembro de 2014
    Se tem uma coisa pela qual sou apaixonada, é filme de terror, desde criança. Sempre deixei minha mãe louca
    com isso, enquanto todas as crianças, quando iam às locadoras com o pais alugar
    filmes, pulavam para a sessão de filmes infantis, eu corria para a sessão de
    terror. Lembro de uma vez que fomos e eu fiquei completamente louca pra alugar
    um filme chamado “Rato humano”, me apaixonei de cara porque a capa
    era um bicho estranho e nojento. Peguei a fita (ainda era fita na
    época) e levei pra minha mãe dizendo que era aquele filme que eu queria ver,
    mas ela não me deixou levar de jeito nenhum, acho que eu tinha uns 8 anos. Eu
    ficava louca quando descobria um novo filme de terror pra ver, e fico até hoje
    quando vejo que vai estrear algum. Tenho  o costume de, no começo do ano,
    já ver quais são todos os filmes de terror que vão estrear ao longo do ano e já
    fico ansiosa desde já (a louca dos filmes de terror), mas apesar disso, ainda
    tenho preferência pelos filmes de terror antigos.
    Capa do filme que eu queria assistir, “Rato humano”
    Com o
    grande avanço da tecnologia, principalmente quanto à efeitos especiais em
    filmes, os filmes de terror tiveram uma enorme mudança, o que antes se
    concentrava em ter uma boa história, com um bom roteiro, hoje se concentra mais
    em efeitos especiais, como se fosse exatamente isso que prendesse as pessoas ao
    filme. Não sei vocês, mas eu não me interesso por um filmes de terror pelos
    efeitos, e sim pela história.
    Fugindo um pouco do assunto de
    efeitos especiais, nos últimos anos tem surgido uma série de filmes de terror
    no estilo “falso documentário”, o que é perfeitamente explicável, já que esse
    tipo de filme tem um baixíssimo orçamento em comparação aos filmes
    tradicionais. Apesar do baixo custo, esse tipo de filme tem arrecadado muito
    dinheiro, como por exemplo o filme “Atividade Paranormal”, que teve um custo de
    15 mil dólares e rendeu 193 milhões de dólares em receita bruta.
    Cartaz do filme “Atividade Paranormal”
    Esse tipo de filmes chama a
    atenção pela sensação de veracidade que ele transmite, como aquela frase
    redundante que todo mundo já está cansado de ler, “baseado em fatos reais”. “A
    bruxa de Blair” foi o filme que “puxou” toda essa onda de falsos documentários.
    Por ter histórias excelentes,
    mas em uma época sem tantos recursos, de um tempo pra cá começaram a surgir muitos
    remakes. Clássicos como “A hora do pesadelo” e “Sexta-feita 13” ganharam seus
    remakes. Ok, refazer o filme com uma qualidade melhor é válido, mas algo que
    deveria ser mais válido ainda é preservar a história. Eu sou a maior fã do mundo dos
    filmes de “A hora do pesadelo”, mas sinceramente, odiei de verdade o remake, e
    eu não fui a única, ele realmente não teve tooooodo esse sucesso. Não gostei
    justamente porque eles mudaram pontos da história, que na minha opinião, não
    deveriam, a história original era ótima exatamente como era. Outro remake que eu também não gostei foi “Colheira maldita”
    “A hora do pesadelo” original
    “A hora do pesadelo” remake
    Claro, nem todos os remakes são ruins, muitos deles dão certo, como por exemplo com o filme “Doce vingança”, que é remake do filme “Vingança de Jennifer”. O remake é excelente, tudo que teve que ser mantido do filme original foi mantido, é um ótimo exemplo de remake que deu muito certo.
    Original
    Remake

    A qualidade das histórias dos filmes de terror atuais comparados aos antigos, pra mim, é muito questionável (principalmente quanto aos filmes de exorcismo, que estão cada vez piores), mas alguns atuais ainda salvam, principalmente os filmes de terror coreanos, esses sim arrasam nos filmes. 
    Abaixo alguns dos meus filmes de terror antigos e novos favoritos:

    E vocês, preferem os antigos ou os novos?
    Compartilhe com os amigos:
    0 Comentários

  • Filme “Corra” (Get Out) | Review/Crítica
  • Filme “7 Desejos” (Wish Upon) | Review/Crítica
  • Filme “Jogo Perigoso” (Review/Crítica) + Ficha Técnica
  • viagens category image
    2 de setembro de 2014

    Hello!!

    Nesse fim de semana eu, meu namorado, e alguns amigos viajamos para Paraty, um município do Rio de Janeiro que fica ao lado de Ubatuba (São Paulo). Paraty  é uma cidade histórica com uma arquitetura típica do Brasil colônia. Apesar de toda a história, nosso interesse maior foi nas lindíssimas paisagens. A viagem pra lá durou cerca de 4 horas, isso saindo do centro da cidade do Rio.
    No primeiro dia alugamos um barco, pois grande parte das praias de Paraty só é acessível de barco. Foram 5 horas de passeio, pode parecer muito, mas com essas 5 horas não dá pra conhecer nem metade de tudo, afinal são mais ou menos 60 ilhas e 90 praias. Muitas fotos e muitos pulos no mar, usei uma capinha à prova d’água para o celular, para filmar os pulos e tirar fotos na água. Em praia mesmo, só descemos em uma, o que mais fizemos foi parar perto de algumas ilhas para pular no mar.
    Em uma das paradas do barco.

    Em relação ao tempo, não estava nem fechado e nem um sol daqueles enquanto estávamos no barco, o tempo só começou a fechar um pouco mais para o meio da tarde quando já estávamos voltando, mas nada de chuva. O passeio de barco foi maravilhoso e eu recomendo demais para quem visitar a cidade.
    Nesse fim de semana estava rolando festival na cidade, então na noite de sábado teve show. Com um friozinho gostoso, ficamos no festival até mais ou menos 1 da manhã.
    O dia seguinte foi dia de visitar as praias de Trindade, que fica a 25 km de Paraty. Paramos na praia do Meio e na praia do Caixadaço, que tem acesso a partir de uma trilha que começa na praia do Meio. A praia do Caixadaço tem ondas fortes e muita correnteza, fomos avisados disso quando entramos no mar lá.
    A praia do Meio já é mais calma, tem uma ilha de pedra que divide a praia, muita gente sobe lá para tirar fotos e não fomos a exceção.
    Praia do Meio
    Ao lado da trilha para a praia do Caixadaço desagua o rio Codós, que leva à uma cachoeira, mas não fomos até ela.
    A cidade tem realmente muito à oferecer, não pude conhecer tanto por só ter ficado 2 dias, mas com certeza vou querer voltar lá pra conhecer mais!

    Compartilhe com os amigos:
    0 Comentários

  • Buenos Aires: Dia 3 & Presos no aeroporto.
  • Viagem à Orlando: Epcot
  • Estou indo para os EUA!!