• vLOGS
  • tHE NUN
  • iPHONE
livros category image
5 de novembro de 2014
Olá Galera!!

Vocês também estão com uma fome literária??
Cardápio de hoje:
A Gárgula!!

SINOPSE: “O belo e atormentado narrador de A Gárgula conduz numa estrada sinuosa quando é ofuscado pelo que parecia ser uma saraivada de setas. Despenha-se numa ravina e acorda numa unidade de queimados, sofrendo as torturas dos condenados. É agora um monstro. A sua vida acabou. Mas está apenas a começar: um dia, Marianne Engel, uma encantadora e indomável escultora de gárgulas, entra no seu quarto e revela-lhe que foram amantes na Alemanha medieval: ele, um mercenário que sofrera terríveis queimaduras; ela, uma freira escriba no famoso mosteiro de Engelthal, onde lhe prestara cuidados de enfermagem. À medida que se desenrola a sua história, qual Scherazade, e relata outras histórias igualmente fantásticas de amor imortal no Japão, Islândia, Itália e Inglaterra, o narrador é devolvido à vida e, por fim, ao amor. A Gárgula é um romance extraordinário que levará o leitor numa metamórfica e original viagem. Fá-lo-á acreditar no amor, em milagres e na rendição. O mais extraordinário romance de estreia da última década: uma fascinante história de amor sobre o poder libertador do sofrimento, que transcende os limites do nosso tempo e espaço.”
Ps.: Até essa sinopse é dá um show a parte, depois de ler ela a gente até respira fundo e pensa, meu Deus, que livro é esse? Bom, agora vamos a minha opinião sobre o livro:

A Gárgula é um livro que chama a atenção pela capa, mas te prende pelo conteúdo. 
(sim, eu assumo que às vezes escolho um livro pela capa!)
O enredo do livro é muito bem construído e a personagem Marianne Engel é tão fascinante e tão real que até penso que ela existe realmente.
A descrição do acidente é tão chocante e cruelmente descrita nos mínimos detalhes que não tem como não mexer com você.
Além do livro te me prendido do inicio ao fim eu aprendi muito sobre queimaduras, nunca mais olharei uma queimadura da mesma forma!
As historias de Marianne são muito criativas e envolventes, ela as conta de tal maneira que o leitor também fica contando as horas para que ela volte no hospital e conte o resto da história. A forma que o autor insere essas histórias nos leva diretamente àquela época e quase conseguimos ver a cena como num filme.

Nota : 9

Minhas considerações finais:
Eu não sei porque mais acho que tive uma ligação cósmica com esse livro ou sei lá mas eu gostei taaanto, mas taaaanto do livro e queria taaanto um volume dois que confesso que estou fazendo uma fanfic do Gárgula 2. *–*
A propósito, esse livro foi a minha primeira experiência com um livro cujo nome do personagem principal não é revelado e gostei da forma que o autor tratou isso, quase como se tivesse esquecido de mencionar o nome dele. Enfim…
Super recomendado para todos os gostos!!!

Até a próxima resenha,
Camila.

Compartilhe com os amigos:
0 Comentários

  • TAG Isso ou Aquilo (Devorando Livros)
  • Devorando Livros: Cinco motivos para você ler Stolen.
  • Devorando Livros: “Stolen, carta ao meu sequestrador”
  • beleza category image
    4 de novembro de 2014

    Hello!! 🙂

    Há algum tempo eu venho desejando silenciosamere (mentira, eu encho o saco de todo mundo falando) esses batons. Não se surpreendam se a maioria deles tiver tons escuros, já que são esses que eu mais amo. Então aqui estão alguns desses batons maravilhosos, vamos conferir?!




    Diva – Mac




    Foto: www.jufialho.com.br
    Copenhagen – Nyx
    Foto:www.amazon.com
    Heaux – Mac

    Foto: www.totalbeauty.com

    Ballet – Dailus

    Foto: www.dailus.com.br

    Wicked – Limecrime




    Foto:limecrime.com

    Taça de vinho – Vicio feminino (Tracta)

    Foto: www.viciofeminino.com



    Branquela sardenta – Tracta

    Foto: moodaeestilo2.blogspot.com

    Pander me – Mac




    Foto: www.beautyandweddingtips.com

    All fired up – Mac



    Foto: www.premiumimportados.com.br



    Damn Glamorous – Mac

    Foto: www.beautyandweddingtips.com
    Raka Menlli – Tracta



    Foto: http://www.rakaminelliblog.com.br/



    E ai, já experimentaram algum desses?

    Compartilhe com os amigos:
    11 Comentários

  • Resultado de 1 Mês tomando as vitaminas para o cabelo Hairfinity (Hairfnity Vitamins)
  • 1,2,3 Testando: Máscara de cílios Plus HD + Delineador Perfect Look (Luisance) | Resenha
  • Comprinhas de brincos por R$3,00.
  • beleza category image
    29 de outubro de 2014
    Logo que chegou o meu Monte Carlo e eu o experimentei, não
    pude deixar de notar a incrível semelhança que ele tem com o meu queridinho
    Ruby Woo, até mencionei isso na resenha que fiz do Monte Carlo aqui.

     

    Apesar de parecidos em uma primeira olhada, iguais mesmo
    eles não são. O Ruby Woo tem uma cor mais aberta, enquanto o Monte Carlo puxa
    um pouquinho mais pro vinho, é mais fechado, e isso deu pra perceber quando fiz
    o swatch.

    Eu mesma tenho preferência pelos vermelhos mais fechados,
    mas amei os dois.
    Quanto à transferência, em um teste que fiz, o Monte Carlo
    transferiu mais, mas deve-se levar em consideração que eu não esperei tanto
    tempo pra ele secar, talvez com um tempo de secagem maior ele transfira menos,
    mas acho que nesse quesito ele não ganha do Ruby Woo.
    No quesito secagem, o Ruby Woo ganha já que ele basicamente já vai seco pra sua boca, enquanto o Monte Carlo demora um bom tempinho pra
    secar (mas quando seca fica beeeeem matte).
    Quanto à duração, os dois tem uma ótima duração, afinal eles
    ficam bem sequinhos, a menos que você passe o dia inteiro bebendo ou dando uns
    beijinhos
    , hahahahahaha.. mas ainda assim sobra batom pra contar história. Na
    hora de tirar o swatch, tive mais dificuldade pra tirar o Ruby Woo.
    Diferença de preço (nas lojas oficiais das marcas):
    Ruby Wo: R$ 66,00
    Monte Carlo: R$ 42,00
    Não sei qual acabaria primeiro em um uso contínuo, mas eu
    chutaria o Monte Carlo por ele ser líquido, então acho que a diferença de preço
    fica válida aí.
    Considero o preço dos dois um pouco alto, mas se formos pela
    qualidade, valem à pena. Já experimentei algumas réplicas de batons da Mac, por
    exemplo, que tem uma duração péssima, um preço que atrai, mas uma qualidade
    muito ruim.

    Se vermelho não é uma cor que você usa muito, não tem porque
    comprar um batom nesses preços, mas se assim como eu, você AMA, vale muito à
    pena qualquer um dos dois!
    E vocês, já usaram? Gostaram? Contem pra mim aqui em baixo :]
    Compartilhe com os amigos:
    4 Comentários

  • Coisas que ninguém te conta sobre ter o cabelo na cintura
  • Testei&Resenhei: Lápis Retrátil Nude – Luisance
  • 1,2,3 Testando: Corretivo líquido Luisance | Resenha
  • filmes-e-series category image
    28 de outubro de 2014

    Esse é o primeiro post da série de resenhas que eu já estava até
    demorando pra começar
    de filmes de terror antigos, que são os meus favoritos por motivos que eu já mencione nesse post.

    “Cemitério Maldito”, em inglês, “Pet  Semetery”, é um filme de 1989 baseado no
    livro do divo Stephen King e com roteiro também escrito por ele (por isso
    ficou bom)
    . Teve um orçamento de US$11,5 milhões e uma super arrecadação com US$ 57 milhões só nos Estados Unidos :O

    Sinopse: Recentemente os Creeds se mudaram para uma nova casa nos arredores de Chicago. A casa é perfeita, exceto por duas coisas: os reboques, que vivem fazendo barulho na estrada, e o misterioso cemitério no bosque atrás da casa. Os vizinhos dos Creeds estão relutantes em falar sobre o cemitério e eles tem um bom motivo para tal comportamento. Gradativamente o casal toma conhecimento da verdade e ficam chocados ao saberem do perigo que seus filhos correm. Quando o gato da família morre atropelado, eles o enterram em um cemitério índio que tem o poder de ressuscitar o que for deixado naquele terreno, mas as conseqüências são inimagináveis.
    (Retirada do site Adoro Cinema)




    SPOILER ALERT

    Esse é um dos meus filmes de terror antigos favoritos, na
    verdade é muito difícil um filme de Stephen King não estar na minha lista de
    favoritos.  A ideia do filme surgiu pra
    ele quando passavam muitos caminhões perto de sua casa e assim muitos animais
    acabavam sendo atropelados, então seus donos os enterravam em um cemitério de
    animais de verdade, que inspiração né?! Bem, vamos refletir, tem uma estrada
    perigosa em frente à casa que tem uma criança bem pequena, o que concluímos?
    Vai dar merda. E é isso mesmo, dá.

    Primeiramente preciso expressar minha opinião de como eu acho o Louis um idiota. Enterra o gato, dá errado, enterra o menininho (Gage), dá errado, e no final, ainda faz a idiotice de enterrar a esposa depois de saber que sempre dá “errado”… meu Deus, Louis, o que você achou, que ela ia voltar dos mortos meiga e feliz?! Hahahahaha…

    Mas enfim, a história em si é ótima e essa atitude do Louis é totalmente explicável, afinal, ele perdeu o filho e a esposa (mas ainda assim achei idiota da parte dele repetir o erro 3 vezes). O filme explora bem isso, a questão de não se aceitar a morte, o que é bem legal. Não é aquele tipo de filme de terror estilo matança, e aliás, nem tem a necessidade de ser porque é um filme com uma boa história, não precisa apelar pro sangue, (o que realmente nem aparece) cai mais para o lado psicológico. O filme conseguiu mostrar uma face má do Gage (criança), o que não é fácil de se fazer, apesar de que em algumas cenas é usado um boneco no lugar da criança Uma criança não oferece perigo, qualquer um pensa, mas sim, o filme faz o Gage realmente parecer alguém perigoso.

    O gato também é ótimo, hahahahaha.. Acredite, muita gente fala que o gato é o melhor do filme, ou o gato ou o Gage. Aliás, até li alguns comentários na internet como “O gato merecia um Oscar pela atuação” e ri demais quando li isso, mas pior que é verdade.

    O filme é um clássico e, para que gosta do gênero, é sensacional e vale muito a pena ver!!

    Nota: 8,9

    Compartilhe com os amigos:
    0 Comentários

  • 10 Estreias do terror para 2017
  • Filme “Amityville – O Despertar” | Review/Crítica + Ficha técnica
  • Lançamentos de Setembro na Netflix (Terror e Suspense)
  • livros category image
    24 de outubro de 2014

    Olá galera!


    Dia 10 de Outubro teve jantarzinho fora!!
    Siim, nós comparecemos ao lançamento carioca do livro A Comissão Chapeleira da grande autora brasileira Renata Ventura.

    CARDÁPIO:
    – Prato principal: A Comissão Chapeleira
    – Acompanhamento: A Arma Escarlate
    – Restaurante: Livraria Saraiva do Botafogo Praia Shopping.

    O lançamento do segundo livro da série Arma Escarlate era muito aguardado pelos fãs cariocas já que o lançamento oficial tinha sido em Agosto, na Bienal de São Paulo.
    Os fãs compareceram em peso. A autora se atrasou alguns minutos mas assim que chegou já foi cumprimentando alguns de seus leitores na fila.
    Os pais dela deram um show a parte de simpatia. Enquanto a Renata não chegava o senhor Homero cumprimentava e conversava com os leitores além de tirar algumas dúvidas!

    Eu, munida de meu próprio chapéu coco e meu livro, comprado horas antes (sim, eu sou desesperada e fiquei com medo de que a fila para comprar esteja imensa ou que não tenha mais o livro como aconteceu na bienal do ano passado com a Arma Escarlate) mas voltando… eu estava sentada no shopping começando a devorar meu livrinho quando o senhor Homero passa por mim. Me vê lendo o livro. Se aproxima e conversa comigo!
     *—–*
    Esqueci de falar, além de toda essas fofuras e demonstrações dignas de Capí (um personagem do livro que é quase um santo de tão atencioso e fofo) a família Ventura ainda nos presenteou com bombons *oo*Renata autografou meu livro e assim que eu falei dessa coluna ela topou na hora tirar a foto mordendo o livro *O*
    Como tinha dito, no shopping mesmo já comecei a devorar meu livrinho e logo nas primeiras páginas já vimos que o Hugo voltou a aprontar, agora não se sabe se foi porque não aprendeu nada ano passado ou se está sendo coagido a tal…
    Bom, vou terminar aqui porque preciso voltar a ler o meu livrinho…

    Beijos e até a próxima resenha,

    Camila.

    .
    Compartilhe com os amigos:
    0 Comentários

  • Devorando Livros: O Veneno Alheio + Entrevista
  • Devorando livros: Cardápio à la carte 2015.
  • Devorando Livros: Classificação
  • lifestyle category image
    21 de outubro de 2014
    Separei aqui
    alguns perfis do instagram de diferentes assuntos que gosto, que sigo e adoro, vamos
    conferir? =)

    Viagens
    Como sou
    louca para conhecer o mundo inteiro, eu tinha que seguir alguém perfil de
    viagens né? Bem, eu sigo o @bestvacations e o @wonderful_places, e sinceramente
    babo nas fotos que vejo por lá, principalmente das praias maravilhosas que
    eles postam *_*
    Moda
    Sigo o
    @modablogueira e o @modaparameninas, que tem fotos de looks e cabelos lindos que
    são ótimos para se inspirar! O que me incomoda às vezes é a quantidade de
    propaganda que tem nesses perfis devido ao grande número de seguidores, mas,
    principalmente na internet, aonde não tem propaganda hoje né?!
    Saúde

    O @instabeautybrasil é ótimo para quem gosta de exercícios e dicas sobre alimentação e bem estar.
    Maquiagem
    O
    @universomakeup tem fotos de maquiagens e mini tutoriais que deixam qualquer um
    que gosta de maquiagem looooouco!!
    Decoração

    Esse é o que
    eu comecei a seguir mais recentemente. O @decorcriative mostra fotos tanto de
    interiores quanto de casas e lugares lindo pelo mundo afora.

    Esses são
    alguns dos perfis que sigo e indico, e vocês, algum perfil do instagram que
    indiquem?
    @ketyginger
    Compartilhe com os amigos:
    0 Comentários

  • Ombre Hair + Look de aniversário
  • Como desfocar o fundo das fotos em segundos
  • Coisas que só acontecem comigo
  • beleza category image
    17 de outubro de 2014
    Esse é um daqueles produtos que eu faço a resenha muito feliz *-* Já estava de olho nesse batom líquido há muito tempo, em especial o Monte Carlo, que eu achei lindo! Nunca tinha usado batom líquido, já que não sou muito de usar gloss, porque prefiro batons sequinhos, matte, mas a proposta desse, que é secar e ficar matte me chamou muito a atenção.
    A cor fica realmente intensa e bem matte, ele cumpre perfeitamente o que propõe. A durabilidade também é ótima, ele simplesmente não sai da sua boca. É claro que comendo e bebendo, vai saindo aos poucos sim porque o batom não é nenhum milagre, mas nada que precise ficar retocando de 2 em 2 segundos. A cor é MUITO parecida com o meu QUERIDÍSSIMO Ruby Woo, da Mac, mas o Monte Carlo, se passar mais algumas camadas, fica um pouco mais escuro (como eu gosto).
    O aplicador é ótimo, permite fazer o contorno bem certinho.
    Quanto à secagem, dependendo da quantidade de camadas, demora um pouco pra secar, mas quando seca fica ótimo, muuuuito sequinho, então use com os lábios bem hidratados!
    O preço na loja ou site da Nyx é R$42, mas o meu veio da Woops Makeup.
    Compartilhe com os amigos:
    3 Comentários

  • Tudo sobre o meu aparelho invisível.
  • 1,2,3 Testando: Silisponge (Esponja de silicone) – Primeiras impressões
  • Update sobre a depilação a laser (4º Sessão)
  • beleza category image
    14 de outubro de 2014
    Não sou aquele tipo de pessoa que faz uma super produção para o dia a dia, aquela base pesada, olho bem elaborado, nada disso, prefiro deixar isso para o fim de semana. Com a academia, trabalho e faculdade, nem que eu quisesse teria tempo pra tudo isso, mas também não dá pra sair de cara lavada né? Então eu prefiro optar por poucos produtos e que sejam mais práticos. Esses são os produtos que uso todos os dias:
    Com o rosto limpo, antes da maquiagem, estou usando o hidratante protetor da Nívea (Tem resenha dele aqui) para pele oleosa, que gosto por causa do FPS 15.
    Como base, uso o BB cream da L’oreal na cor média.

    Corretivo Studio Finish da Mac na cor NC42, que  não é exatamente a cor exata pra mim, acho que quando comprei estava um pouco mais bronzeada, mas nada que dê uma super diferença.
    Paleta de 10 blushes da Woops Makeup. Na maioria das vezes uso o blush circulado já que quase todos os outros tem brilho e eu prefiro optar por um sem brilho para ir trabalhar.

    As vezas ao invés da paleta eu uso o Benetint da Benefit, que eu AMO! O meu é a versão menorzinha que vem em um kit travel.

    Máscara “The Colossal” da Maybelline. Essa todo mundo já ta cansado de conhecer, gosto muito dela para o dia a dia.

    Bem, esses são os produtos que eu uso todos os dias, o batom eu uso o que o meu humor do dia pedir, hahahahaha… E vocês, quais produtos usam no dia a dia? :]
    Compartilhe com os amigos:
    0 Comentários

  • Como fazer unhas no estilo “Escama de sereia”
  • Testei&Resenhei: Fluidline Eye-Liner Gel – Mac
  • Testei&Resenhei: Máscara capilar Bomb Cream Whey – Yenzah
  • filmes-e-series category image
    12 de outubro de 2014

    Como dizer o quanto eu estava ansiosa pra ver esse filme?? Hahahahahaha.. Na verdade, difícil mesmo é eu não ficar ansiosa quando sente vai estrear algum filme de terror, é muito amor envolvido!! 

    Pra quem não sabe, “Annabelle” surgiu do filme “Invocação do mal”, que estreou ano passado e conta a história do casal de demonologistas Ed e Lorraine Warren. Annabelle, um dos casos que eles viveram, aparece logo no início do filme, o que faz com que muita gente pense que o filme vai girar em torno da boneca, e quando você vê que não, você fica extremamente frustrado e curioso pra saber como se desenrolou a história da boneca, que foi o que aconteceu comigo. Agora, imagina a minha empolgação ao saber que seria lançado um filme só da boneca.. Eu simplesmente surrei e comecei a contar os dias.

    Postei essa foto no instagram (@ketyginger) assim que cheguei pra ver o filme, ô empolgação!

    Sinopse: começa antes do mal ser desencadeado em Invocação do Mal (2013). Tudo começa quando John Form (Ward Horton) encontra o presente perfeito para sua esposa grávida, Mia (Annabelle Wallis) – uma boneca que usa um vestido de noiva branco. Mas a felicidade de Mia com Annabelle não dura muito. A boneca atrai membros de uma seita e o casal é violentamente atacado.
    (Sinopse retirada do site cinema10.com.br)

    Eu não queria dar spoiler, mas não vai ter jeito, se você ainda não viu o filme e pretende ver, pare de ler aqui!

    Já deu pra perceber que eu fui ver o filme com uma expectativa bem alta né? Bem, muitas vezes isso atrapalha as coisas, não que o filme tenha sido ruim, eu gostei mesmo, mas foi bem diferente do que e imaginei. Um dos aspectos diferentes do que eu tinha imaginado é que o filme não centra tanto assim na boneca, centra muito mais na Mia (protagonista) e no tal do demônio que está atrás do bebê, Annabelle muitas vezes é só um “enfeite”. Um exemplo disso é a cena em que ela fica em pé e é mostrado o demônio segurando ela pra ela ficar em pé, nunca é mostrado ela se mexendo sozinha. Então a boneca fica um pouco em segundo plano.

    Um ponto muito positivo do filme é que nas cenas de tensão, não acontece o que estamos esperando, é sempre uma surpresa, você acha que vai acontecer uma coisa e acontece outra. Exemplos: Cena do elevador (amei essa cena, foi a melhor) em que a porta abre mil vezes, todo mundo fica achando que alguma hora vai aparecer um rosto pra dar um susto e não aparece. Por isso achei essa uma das melhores cenas, foi criada uma tensão muito grande alí, você simplesmente não consegue desgrudar o olho da tela achando que alguma coisa vai meter a cara lá, hahahahaha.

    Um dos pontos negativos que me fizeram  abaixar a nota do filme é que as coisas acontecem de forma lenta, demora pra criar aquela tensão típica de filme de terror, acho que eles podiam ter apresentado a história um pouquinho mais rápido. Outro ponto negativo é que achei a forma de se expressar da Mia não muito convincente, não sei se isso é da personagem ou da atriz (provavelmente da personagem, já que a Mia é muito calminha), mas acho que, mais na expressão facial, ela não demonstrou todo o medo que devia estar demonstrando com o que estava acontecendo.

    Uma coisa que eu achei interessante foi a gradativa mudança no rosto da Annabelle no decorrer do filme, o rosto dela vai aos poucos ficando bem “demoníaco”. As piadas que o John faz muitas vezes deixam o clima do filme mais leve, o que uma vez ou outra atrapalha a tensão que a cena deveria criar.

    Quanto ao final, não achei lá essas coisas, mas também não foi aquele tipo de final que me faz desgostar do filme. Pra mim, “Annabelle” não superou invocação do mal e eu não levo como uma “continuação”.
    Apesar dessas pequenas coisas que não gostei, recomendo sim o filme, ele só não entrou pra minha lista de favoritos.
    Nota: 7,8

    Compartilhe com os amigos:
    6 Comentários

  • Filme “Don’t Knock Twice” (Não Bata Duas Vezes) | Review/Crítica
  • Dica de Série: “Westworld” | Motivos para assistir
  • Top 5: Piores mortes em séries
  • livros category image
    9 de outubro de 2014
    Hello! :]

    Antes da resenha, eu gostaria de  fazer uma pequena apresentação da nova colunista do blog, Camila. A Camila vai fazer fazer algumas resenhas sobre livros aqui pro Pretty Please, pra termos um conteúdo mais diversificado! E já que ela é uma devoradora de livros, adorou a ideia de fazer as resenhas. Deixo vocês agora com a primeira resenha dela, do livro “Stolen”.

    Sinopse: Gemma é uma
    adolescente normal esperando para pegar um voo no aeroporto de Bangkok com seus
    pais. Ao se afastar, conhece o charmoso e envolvente Ty, e nem imagina quais
    são suas reais intenções. Ele lhe oferece um café em que coloca algum tipo de
    droga. Confusa, ela é sequestrada e arrastada para o meio do deserto
    australiano. Ele a rouba para si, depois de anos a observando, e ainda espera
    que ela o ame. Os dias se passam e eles têm apenas um ao outro na imensidão
    vazia e escaldante do deserto, e Gemma começa a entender e conhecer Ty. É aí
    que os limites entre inimizade e compaixão vão ficando cada vez mais tênues.

    Stolen é um livro que logo de cara chama a sua
    atenção pelo subtítulo: Carta ao meu sequestrador. Hein? É isso mesmo? Sim. A
    personagem principal narra todo o livro em forma de uma carta ao seu
    sequestrador, contando todos os momentos que ela passou desde a captura até
    seus sentimentos e medos.

    O livro não contém cenas muito fortes, como pelo
    título podemos imaginar.

    Mas a historia é incrível, muito bem construída
    e se desenrola de uma maneira de fácil leitura! Eu li o ebook com mais de 570
    paginas em apenas 1 dia.

    O antagonista é um personagem fascinante, acho
    que até eu estou com crise de estolcomo. (Quando a vitima se efetua ao seu
    sequestrador) pela primeira vez em toda a minha vida literária eu torci para
    que o “vilão” ficasse com a mocinha. Sim, podem me julgar! Eu sei que
    ele é um sequestrador, mas torcia mesmo assim.

    Não é a toa que o Ty foi indicado pelo site
    TeenReads como melhor vilão. O Ty é o melhor!!

    Minha nota foi: 9,5

    Minhas Considerações Finais:

    Quando eu acabei o livro fiquei com abstinência de Stolen, precisava urgentemente
    de um 2º livro. Não. Ele não termina no: continua no próximo livro, mas o final
    deixa aberta varias possibilidades para um volume 2 ainda mais fascinante que o
    primeiro. Viu né Lu? (Lu é o modo que eu chamo a Lucy), Se você estiver assim sem
    fazer nada bem que poderia escrever um segundo livro pra mim né?

    Super recomendado para todos os gostos!!!

    Até a próxima resenha,
    Camila.

    Compartilhe com os amigos:
    3 Comentários

  • Devorando Livros: Biblioteca Corporativa
  • Devorando Livros: Classificação
  • “Devorando Livros” está de volta!


  • © Pretty Please - Todos os Direitos Reservados - Design e programação por